Arnaldo Jabor

Carioca nascido em 1940, filho de um oficial da Aeronáutica e uma dona de casa, o cineasta e jornalista Arnaldo Jabor já foi técnico de som, crítico de teatro, roteirista e diretor de curtas e longas metragens.

Formado no ambiente do Cinema Novo, participou da segunda fase do movimento, que buscava analisar a realidade nacional, inspirando-se no neorrealismo italiano e na nouvelle vague francesa. Seu primeiro longa-metragem foi o inovador documentário Opinião pública, uma espécie de mosaico sobre como o brasileiro olha sua própria realidade.

Ganhou notoriedade com os filmes Tudo Bem, Toda nudez será castigada e Eu te amo, sucessos de crítica e de público na década de 1990, por força das circunstâncias ditadas pelo governo Fernando Collor de Mello, que sucateou a produção cinematográfica nacional, Jabor foi obrigado a procurar novos rumos e se dedicou à imprensa.b

Fechar Menu