José Joffily

Diretor, produtor e roteirista, começou a se destacar a partir da repercussão de seus curtas-metragens Curta-sequência: Galeria Alaska e Copa Mixta, ambos de 1979.

Nascido no interior da Paraíba em 1945, e criado no Rio de Janeiro, nos anos 80 escreveu vários roteiros de longas-metragens em parcerias, como O sonho não acabou, de Sergio Rezende, Parahyba, mulher macho, de Tizuka Yamasaki – baseado em um livro de seu pai, o historiador José Joffily Bezerra de Melo -, Avaeté, a semente da vingança, de Zelito Viana. Em 1985, dirigiu seu primeiro longa, Urubus e papagaios e, desde então passou a produzir seus próprios filmes, como A maldição do Sampaku, prêmio de melhor filme pelo júri popular e pelo júri oficial no Festival de Brasília.

Em 2009, dirigiu Olhos azuis, que recebeu os prêmios de melhor filme, melhor roteiro, melhor atriz, melhor ator coadjuvante, melhor som e melhor montagem no Festival Paulínia de Cinema de 2009. A partir dos anos 2000, passou a intercalar filmes de ficção e documentários.

Fechar Menu